O perigo de deixar tudo para amanhã

4maio - by Filipe - 0 - In Psicologia Saúde Trabalho

Escalar colinas difíceis requer um ritmo lento no início. (William Shakespeare)

Em uma tirinha da Mafalda, no primeiro quadro, Mafalda está olhando para Felipe de bobeira em sua cama, enquanto ele olha um poster na parede. No segundo quadro, ambos estão lendo a frase do poster, que diz: não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. No último quadro , Felipe solta a seguinte pérola para Mafalda: Bom, amanhã eu começo!

Frequentemente nos encontramos com uma lista de coisas para fazer e, ao invés de colocar a mão na massa, nos distraímos e perdemos tempo fazendo coisas sem importância. Procrastinamos, evitamos fazer aquilo que somos responsáveis por fazer.

Problemas de saúde

Procrastinação é o abandono de nossos objetivos mais importantes a longo prazo em troca de uma gratificação imediata. Assim, postergamos nossas obrigações, mesmo quando se trata de atividades que gostamos de fazer e nos deixa felizes. O psicólogo de Havard, Ben Tal Shahar, revelou que mais de 70% dos estudantes universitários se consideram procrastinadores. Quando essa postura se transforma em um estilo de vida, não só colocamos um grande obstáculo no nosso caminho para felicidade como também repercute negativamente em nossa saúde. Os procrastinadores tendem a desenvolver maus hábitos como dormir mal, fazer pouco exercício físico e, como consequência de atrasar tarefas, enfrentam grandes níveis de estresse. Além do mais, geralmente, não realizam exames médicos periódicos porque, como era de se esperar, estes podem esperar.

Procrastinar faz mal para o coração

A doutora Fuschia Sirois, da Universidade Sheffled (South Yorkshire, Inglaterra) foi uma das primeiras a estudar a relação entre a procrastinação e as doenças cardíacas. Ela descobriu que elas estão altamente relacionadas e que um dos principais fatores de pressão alta é justamente a procrastinação: a pouca compaixão por si mesmo, o sentimento de culpa e uma postura derrotista na hora de enfrentar os desafios da vida são traços característicos de pessoas que procrastinam.

Procrastinar é humano

Algumas hipóteses sugerem que a procrastinação parte de princípios gerais da motivação humana em combinação com certos traços de personalidade ou estados disfuncionais. Um desses princípios é o que todas as pessoas tendem a evitar situações desagradáveis. O segundo princípio é que a motivação para levar a cabo um comportamento é inversamente proporcional ao tempo que resta para obter uma recompensa ou o resultado de um comportamento. Por exemplo, quando enfrentamos uma tarefa que achamos difícil ou desagradável e temos tempo (ou acreditamos que temos tempo), todos nós sentimos vontade de evitar ou adiar. A capacidade para resistir a essa tentação depende de aspectos como a sua capacidade de executar tarefas, distração, impulsividade ou (tendência a se deixar levar pela gratificação imediata). Estados como o estresse, fadiga, ansiedade ou depressão também ameaçam a nossa capacidade de resistir a procrastinação.

O que fazer?

Grandes realizações levam tempo e esforço. Portanto, a melhor estratégia para atingir essas realizações é agir, avançar lentamente e não se estressar para alcançar determinada meta. Se não tentarmos subir a montanha, é certeza que nunca vamos chegar ao topo, certo? Em outra tirinha da Mafalda, Felipe reflete: e se antes de pensarmos o que deveríamos fazer, apenas começamos a fazer o que deveríamos ter feito? Felipe é um filósofo e não sabe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *